...e esgravata.

terça-feira, 7 de julho de 2009

don't call me violet.


.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
..
.
.
.
The Brown Bunny, 2003,
Vincent Gallo.


i like my body when it is with your body
it is so quite new a thing muscles better and nerves more
i like your body
i like what it does,
i like its hows
i like to feel the spine of your body and its bones,
and the trembling-firm-smooth ness and which i will
again and again and again kiss,
i like kissing this and that of you,
i like, slowly stroking the,
shocking fuzzof your electric fur,
and what-is-it comes over parting flesh . . . .
and eyes big love-crumbs, and possibly
i like the thrill of under me
you so quite new.
.
e.e. cummings.
.

5 comentários:

Kika V. disse...

uau, great poem!! e linda a cena do Brown Bunny... (há menção do poema no filme? não me lembro.. de qualquer forma, o poema ilustra a imagem (e o filme inteiro) perfeitamente!

beijo!

jaz.mim_tu... aqui. disse...

lindas todas as cenas do filme. todas, sem excepção. um filme que considero grandioso embora inexplicavelmente subestimado pela doutíssima crítica. imperdoável.

respondendo agora à tua questão, para não divagar mais:) : não, este poema não surge no filme. o brown bunny é habitado essencialmente por duas presenças eloquentes, o silêncio e a ausência (entre outras). teria tudo para ser um filme mudo tal como nos tempos do cinema a petro e branco. só não o foi porque o amor/desejo/paixão e tantas outras "coisas" encarregaram-se de o salpicar...

**inhos com ponto de exclamação:))

Kika V. disse...

hummm, entendido, obrigada! Deu vontade de rever..

bisou

jaz.mim_tu... aqui. disse...

je t'embrasse aussi, chérie ;)

jaz.mim_tu... aqui. disse...

envio-te esta mensagem com o meu e-mail para não nos perdermos de "vista", depois apagarei este comentário.

laraaguiartenreiro@msn.com

tens facebook para te adicionar?

jaz.mim_tu... aqui, deixara de o ser.

à espreita de fa|c|to & gravata.

Seguidores