...e esgravata.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

______________________introspecção.





















"Litany Of Echoes",

James Blackshaw.

15 comentários:

nuno disse...

"Rápidas sucessões de (longas) linhas numa única espécie de satisfação aos olhos lançados" :)

jaz.mim_tu... aqui. disse...

e hoje precisei [muito] destas linhas, destas cordas [de viola]. destes compassos...

jaz.mim_tu... aqui. disse...

arritmias introspectivas. e o que é o silêncio senão um compasso de espera, um tempo de escuta.

Anônimo disse...

Esse silêncio do tempo não é ainda O silêncio, diria.

jaz.mim_tu... aqui. disse...

uma fracção d0 silêncio absoluto. uma intermitência serena.

jaz.mim_tu... aqui. disse...

"apaziguadora" ;).

nuno disse...

O silêncio absoluto não têm fracções, diria, de qualquer forma, essa "intermitência serena" soa me, ao longe, bastante "pacificadora".

jaz.mim_tu... aqui. disse...

"olhe que não, olhe que não"...

hum... não foi isso que o senhor john cage me ensinou...

:)

nuno disse...

O john cage ensinou lhe que O silêncio "têm" fracções, é curioso, por mim não sei que lhe diga. :)

jaz.mim_tu... aqui. disse...

muito me conta o tal senhor.

;)

nuno disse...

Cá por mim tenho a manifestar o meu profundo desagrado por ontem não ter "pudido" estar nos "Rage against the machine" !

jaz.mim_tu... aqui. disse...

"pUdido"?!? :)

nem lá meti os pés, o cartaz de ontem não me seduziu...

[tenho um amigo meu que diz o mesmo...]

;)

jaz.mim_tu... aqui. disse...

[são muito "barulhentos"...:)]

nuno disse...

"Pudido". é como me sinto em virtude do tal facto que referi. :)

jaz.mim_tu... aqui. disse...

:)

jaz.mim_tu... aqui, deixara de o ser.

à espreita de fa|c|to & gravata.

Seguidores