...e esgravata.

terça-feira, 24 de junho de 2008

«... e dizê-lo cantando a toda a gente...»*.

A Companheira


Não te busquei, não te pedi: vieste.
E desde que eu nasci houve mil cousas
que a meus olhos se deram com igual simplicidade:
o Sol, a manhã de hoje, essa flor que é tão
grácil que a não quero,
o milagre das fontes pelo estio...
Vieste (o Sol veio também, a flor, a manhã de hoje, as águas...).
Alegria, mas calada alegria, mas serena, entendimento puro,
natural encontro, natural como a chegada do Sol, da flor, das águas, da manhã, de ti, que eu não buscara nem pedira.
E o Amor! E o Amor! E o Amor!
______: Vieste.

Sebastião da Gama, in Antologia da Novíssima Poesia Portuguesa.





[*] ... e o resto, já sabes. este poema pertence-te.






e por momentos foi a rodoviária, "esse mundo,
essa canção de vida, de eternidade". vieste. mas
não partiste. trouxe-te. ficaste-me.


para a minha menina-miloro.



2 comentários:

Sandra disse...

que dizer? OBRIGADA, não chega! se prolongar a palavra talvez o efeito seja melhor... OOBRIGAAAAAAAADAAAAAAAAAAAAAA! não, não chega... basta de palavras, adoro-te minha amiga*irmã moras no meu coração*********

jaz.mim_tu... aqui. disse...

minha querida, tenho estado fora e só hoje li o teu e-mail...

que chatice...

deus queira que consigas... estou a torcer por ti minha Amiga*Irmã-linda-a.mora-comigo.

**teus. muitos. e para a nossa outra menina linda

armário.roupeiro: cabides.

jaz.mim_tu... aqui, deixara de o ser.

à espreita de fa|c|to & gravata.

Seguidores